MELBOURNE É UMA DAS PIONEIRAS NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS ECOLÓGICOS

victoria-market.jpg

Uma das cidades pioneiras do mundo no lançamento de estratégias para reduzir a produção de CO2 é Melbourne, na Austrália. Lá se localiza a maior instalação solar em um edifício urbano de todo o continente, no Queen Victoria Market, um complexo comercial do século XIX, com uma fachada moderna que possui 1.300 painéis solares.
A administração de Melbourne, de acordo com o relatório “State of the world 2007” da World Watch Institute (WWI), está promovendo parcerias entre empresas privadas e a administração pública para encorajar um crescimento econômico que acompanhe a qualidade ambiental.
O slogan adotado é “Zero Net Emissions” (Rede de Emissão Zero), pelo qual a cidade australiana, de 60 mil habitantes, que abriga 660 mil durante o dia e constitui o núcleo de uma área metropolitana de 3,6 milhões de habitantes, decidiu atuar concretamente.
O objetivo de alcançar emissão zero de CO2 parece cada vez menos distante, visto que a cidade já reduziu suas emissões de monóxido de carbono em 26% e para 2010 decidiu elevar a meta para de 30% a 50%.
Como explicou o artigo de Tom Roper, ex-ministro do governo do Estado da Victoria, contido no relatório “State of the world 2007”, a bandeira principal da eco-revolução local é o Council House 2, o complexo de escritórios que será construído em Melbourne, o primeiro a alcançar na Austrália a pontuação máxima do sistema de certificação ambiental, o Grenn Star.
Sobre a construção desse prédio o prefeito de Melbourne, John So, disse acreditar “que o Council House 2 mude o modo em que venham a ser projetados e construídos os edifícios em Melbourne, na Austrália e no mundo todo”.
O Council House é uma verdadeira jóia para os ambientalistas. O novo edifício consome 87% de energia e 72% de água a menos que os prédios antigos, e assegura a quem trabalha neles 100% de ar fresco. Para isso, são utilizadas persianas com células de captação de energia solar na fachada do edifício que seguem o sol em seu percurso e janelas automáticas que permitem ao ar fresco da noite resfriar o edifício.
Turbinas eólicas, painéis solares e um sistema de co-geração de energia a gás fornece a energia necessária. Um sistema adaptado aspira a água do esgoto e a submete a um tratamento de depuração completo. Esta água é depois usada nas descargas e nas torres de refrigeração.
Estas inovações foram adotadas em toda a cidade. De fato, o plano regulador de Melbourne estabelece que todas as novas construções de prédios de escritório adotem estratégias para a redução das emissões de CO2, a exemplo da utilização de energia solar e do sistema de reutilização da água da chuva.
Já para os edifícios existentes existe um outro programa, o GreenSaver, que financiará as verificações e fornecerá aos proprietários produtos como torneiras de fluxo reduzido, lâmpadas econômicas e isolantes térmicos. (ANSA)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: