Empresas da Sonae vão usar energia solar

A tendência não é nova e têm ganho maior expressão nos EUA pela mão de empresas como a Wal-Mart e a Google. A utilização do topo dos edifícios para instalação de painéis solares também já chegou a Portugal. O caso mais emblemático é o do Mercado Abastecedor de Lisboa. Belmiro de Azevedo quer dar-lhe nova dimensão. Espaço não lhe falta.

O patrão da Sonae quer instalar um milhão de metros quadrados de painéis solares nos edifícios da Sonae Sierra e Sonae Distribuição (hiper e supermercados).

A concretizar-se este objectivo, a energia produzida seria superior ao total da central fotovoltaica de Moura, no Alentejo, que deverá produzir 150 megawatts, ocupando 50 hectares, metade dos 100 campos de futebol previstos por Belmiro.

Para já, a Sonae Sierra está a testar a tecnologia em dois projectos-piloto abertos no ano passado – os centros comerciais 8ª Avenida, em São João da Madeira, e o El Rosal, em Ponferrada, em Espanha. “A ideia é, no futuro, replicar este sistema em todos os novos projectos”, adianta Tiago Vidal, director de comunicação da Sonae Sierra.

Os painéis fotovoltaicos do 8ª Avenida custaram 30 mil euros e permitem uma poupança de 2.500 euros por ano, enquanto as estruturas que estão no El Rosal representaram um investimento de 600 mil euros. A discrepância de valores deve-se ao facto de, em Portugal, servirem apenas para o aquecimento da água e em Espanha serem utilizados para produzir electricidade.

A viabilidade da colocação de painéis nos 47 centros comerciais que a empresa opera em todo o munco está igualmente em estudo. “Não sabemos se vamos conseguir em todos, porque muitos edifícios não estão preparados, mas esse é o nosso objectivo”, explica Tiago Vidal.

A empresa está igualmente a estudar outras medidas que tornem os edifícios mais sustentáveis do ponto de vista ambiental, como a reutilização da água da chuva, mais fáceis de adaptar nos locais já construídos.

A reutilização das águas está a ser testada em São João da Madeira. Foram investidos 69 mil euros e o ‘payback’ foi obtido em meio ano. As poupanças de água, usada na rega, casas de banho e no ar condicionado são de 154 mil euros.

Na Sonae Distribuição, os painéis solares estão a ser testados no supermercado Modelo em Estremoz. A intenção é semelhante à dos centros comerciais: alargar a experiência aos outros activos.

Diário Económico 

3 comments

  1. “Espaço não lhe falta.”
    Pois não… e dinheiro também.

    Faz ele muitíssimo bem.
    Tem dinheiro, invista em algo útil, como são as energias alternativas.🙂

  2. Muita parra para pouca uva!
    Portugtal ainda não acordou para a energia fotovoltaica a nívelo particular.
    Já há anos, a exemplo do que se passa na ALEMANHA; ONDE CADA PARTICULAR PODE INSTALAR PAINEIS FOTOVOLTAICOS E ARMAZENAR A SUA ENERGIA NA FORNECEDORA DE ELECTRICIDADE;PRETENDI INSTALAR PAINEIS NA MINHA CASA EM pORTUGAL: IMPOSSÍVEL; ISSO SÓ ESTAVA RESERVADO A EMPRESAS:
    UMA VERGONHA!
    DESILUDIDO DEIXEI O PROJECTO:
    aTENCIOSAMENTE
    ANTÓNIO JUSTO

  3. Dores

    Muito bem S. Belmiro assim é que é dar exemplos ás empresas do noso páis. Espero bem que não estejam muito tempo em teste. Coloquem logo em prática vocês empresários que tem centenas de empresas no nosso país e lucros acima da média comecem logo a investir nalguma coisa que seja para proteger o nosso clima.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: