Eficiência energética longe dos lares portugueses

«Quase dois terços das habitações portuguesas apresentam um enorme potencial de reabilitação urbana, especialmente as construídas nas décadas de 70 e 80, podendo melhorar a sua eficiência energética em média entre 25 e 50 por cento», afirmou Alexandre Fernandes, director-geral da ADENE – Agência para a Energia, na conferência “Edifícios Sustentáveis em Cidades Inteligentes”, realizada no âmbito do Salão Imobiliário de Portugal (SIL).
Segundo o director-geral da ADENE, «a casa “média” certificada dos portugueses corresponde a um apartamento urbano, localizado num edifício de três pisos, com uma tipologia T3, uma área de 110 m2 e uma classe energética C», havendo, por isso, muito espaço para a melhoria da eficiência energética nas casas portuguesas.
O aquecimento de águas (caldeiras e esquentadores), os isolamentos (cobertura de paredes e pavimentos), a correcção de vãos envidraçados e a energia solar térmica são as principais áreas de intervenção para melhorar o desempenho energético das habitações.

Ambiente Online

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: